Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008

21 de Fevereiro, o dia da língua materna

     

Dirigimo-nos na passada quinta-feira à Casa da Cultura a fim de conhecer quais as actividades preparadas para as comerações do dia da Língua Materna. Para além de a televisão ter assinalado este dia com reportagens realizadas nas aulas de mirandês foi também lançado o primeiro mini dicionário ilustrado desta língua.

A iniciativa de publicação deste livro foi do Centro de Estudos Mirandeses de modo a agirmar e divulgar a nossa língua. «Las mies purmeiras palabras an mirandês» é da autoria de Duarte Martins e será distribuído gratuitamente aos 400 alunos que estudam a língua. Este manual encontra-se à venda nas livrarias da região

Realizámos também uma entrevista na aula anterior para aplicar ao professor responsével pela disciplina. Contudo, a azáfama do dia não permitiu a sua realização que foi adiada para hoje. Publicamos então o resultado do nosso trabalho:

publicado por lamietierra às 14:53
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008

Perspectiva arquitectónica

                                     

 

 

 

 

 

 

De todo o património existente em Miranda é o casario da parte velha da cidade que maior interesse suscita a todos os visitantes. Qualquer obra que se realize dentro do perímetro muralhado tem, obrigatoriamente, de ter um projecto arquitectónico, que deve ser sujeito a uma aprovação das entidades competentes. Não são permitidas alterações à volumetria dos edifícios, não é autorizada a abertura de portas e janelas e a utilização de alumínios, azulejos, mármores ou outros revestimentos exteriores, à excepção do granito, abundante na região. É aconselhada a utilização de cal branca para a pintura exterior de paredes.
 Este conjunto de medidas de protecção ao património construído tem permitido manter, no essencial, a fisionomia, equilíbrio e beleza da cidade antiga, cuja história é longa, de muitos séculos. Apesar de ter passado por muitas convulsões, Miranda tem sabido manter a traça arquitectónica primitiva, não se tendo verificado alterações que ponham em causa a harmonia do conjunto habitacional e da vida social dentro da cintura muralhada.

 As ruas estreitas e apertadas, com casas de planta muito simples de um, dois ou três pisos e construídas de cantaria ou alvenaria granítica, pedra muito abundante em toda a circunferência da cidade e em toda a região do Planalto Mirandês. A situação geográfica da povoação nunca permitiu a libertação de grandes espaços para abertura de largos ou praças muito amplos. Miranda mantém o traçado nitidamente medieval, apesar dos séculos que por ela passaram.

São ruas paralelas entre si com algumas vielas transversais ao longo das muralhas. Sofreram alterações significativas ou desapareceram as ruas próximas do castelo por ocasião da explosão e destruição da fortaleza levada a cabo pelos exércitos de Castela no ano de 1762, mas o conjunto da cidade não se alterou.

A rua da Costanilha, a mais característica, mantém o seu traçado quatrocentista e quinhentista de rua de mercadores e artesãos. Ainda lá se conserva a estalagem com a sua traça primitiva e com os seus cachorros simbólicos.No local das Quatro Esquinas, assim chamado, por ai cruzarem quatro ruas, há um edifício de traça bem quinhentista com os seus cachorros pornográficos. Nesta rua da Costanilha e em outras existem casas com modilhões ou cachorros. A maior parte das moradias estão construídas com cantaria lavrada com suas janelas muito simples, trabalhadas à maneira do tempo.

Com o nome de Praça, se designou sempre o espaço onde se encontram ainda hoje, os edifícios da Câmara Municipal, o novo e o antigo, servindo este actualmente de Museu da terra de Miranda. Deste espaço saíam as artérias principais da cidade: Rua da Alfândega, Rua da Costanilha, Rua da Trindade, Rua da Sé e a rua que dá saída para a Misericórdia.

As portas da cidade, apesar de algumas estarem destruídas, mantêm os nomes da antiguidade. As portas de Santo António pelas quais se entra hoje na cidade ficam situados a Nordeste. O Postigo é uma pequena porta gótica, situada a Oriente e dá só entrada a peões. Daí o nome do Postigo ou porta Pequena. Mais a Sudoeste fica a porta da Cerca ainda plenamente conservada. Ao Norte ficam as portas de Nossa Senhora do Amparo.

Até há cerca de cem anos mais ou menos, era por estas portas que se fazia a entrada principal da cidade. Por elas se saía para todo o sul do país pela entrada que dava para Cércio, Duas Igrejas e Sendim pela ponte dos canos, situada a pouco mais de cem metros das muralhas, construída no século XVI, ou antes, sobre o rio Fresno.


 


Miranda exibe a grandeza das suas ruínas militares, o seu urbanismo renascentista, o medievalismo da Rua da Costanilha, as fachadas barrocas e neoclássicas dos templos religiosos e a imponência exterior e interior da velha Sé.

 

publicado por lamietierra às 16:31
link do post | comentar | favorito

Economia

Lus chapeus de lus Dançadores
    A agro-pecuária e o comércio são o suporte económico do concelho. Cultivam-se cereais (trigo e centeio), batata, vinha e produtos hortícolas. Cria-se o gado bovino, suíno e ovino. Explora-se o pinheiro e o sobreiro (produção de cortiça).

    O concelho é rico em caça (perdiz, lebre, coelho, rolas, javali e raposas). A indústria tem pouca expressão no concelho, realçando-se a da construção civil, da cutelaria e da tanoaria.
   O comércio é aquele que tem o maior número de trabalhadores, que, dada a proximidade com Espanha, existe em parte derivado ao turismo. Comercializam-se produtos artesanais (capas de honra, chouriças, alheiras), granito e texteis. As lojas encontram-se dispersas por toda a cidade.
    No concelho existem duas centrais hidroeléctricas sobre o rio Douro, a de Miranda do Douro e a do Picote que dão emprego a muitas pessoas.

publicado por lamietierra às 16:17
link do post | comentar | favorito

Parque Natural do Douro Internacional

 

  Quando se fala em Parque Natural subentende-se que seja uma área  que se caracteriza por conter paisagens naturais, semi-naturais e humanizadas, de interesse nacional, sendo exemplo de integração harmoniosa da actividade humana e da natureza e que apresenta amostras de um bioma ou região natural.

  O Parque Natural inclui os concelhos de Figueira de Castelo Rodrigo, Freixo de Espada a Cinta, Miranda do Douro e Mogadouro, totalizando uma área de 85150 hectares,  abrangendo o troço fronteiriço do Rio Douro assim como as superfícies do planalto Mirandês. Sendo assim, o nosso concelho tem o privilégio de pertencer a este parque, o que nos confere ainda mais importância pois torna-se o local escolhido por muitas espécies animais para constituir o seu habitat, oferecendo também condições ideais para proliferação de determinadas espécies vegetais.

  O relevo do nosso concelho é caracterizado por declivosas vertentes ou arribas onde o Rio Douro assume estrutura de canhão fluvial graças à sua geomorfologia. A sua orografia adquire por isso características geológicas e climáticas únicas, condicionando a população vegetal e animal. A avifauna adquire uma importância significativa a nível nacional, e até internacional, quando associada às actividades humanas e ao património cultural local. A conjugação de todas as condições justificaram a denominação desta área como Parque Natural do Douro Internacional.

 

publicado por lamietierra às 14:37
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2008

Feira de sabores e saberes

Cartaz da 17.ª Feira do Fumeiro (10 a 13 Janeiro 2008)

Miranda do Douro caracteriza-se pela sua eminência rural, oferecendo um leque de produtos onde a pecuária se destaca. Assim, através do porco, da churra Galega Mirandesa e dos bovinos de raça mirandesa, constrói-se a tradicional e única gastronomia tradicional. Do porco, produz-se uma grande variedade de enchidos (as alheiras, chouriças, chouriços, salpicões, o presunto fumado e o bulho) Dos bovinos de raça mirandesa pode-se apreciar a inconfundível posta á mirandesa, a churra é uma raça de cordeiros que se come assado na brasa e o tradicional folar de carne. Se preferir os doces, poderá experimentar as tradicionais cabaças, roscos aromatizados de anis, os sodos a bola doce, o mel e algumas compotas.

A feira tradicional de sabores e saberes realiza-se em Miranda do Douro nos dias 2,3 e 4 de Fevereiro no pavilhão Multiusos que será inaugurado dia 3. Nesta feira, terá a oportunidade de saborear toda a gastronomia tradicional mirandesa, num restaurante localizado no recinto da feira, conhecer algumas peças artesanais do planalto mirandês, (as capas de honra, os trajes dos pauliteiros e outros produtos têxteis) apreciar a bonita paisagem do rio Douro e assistir a espectáculos de folclore e alguns grupos de música mirandesa. Estão presentes na feira, cerca de 30 artesãos que têm para lhe dar a conhecer um conjunto único de saberes.

            Junto anexamos a programação para este fim-de-semana:

IX Festival de Sabores Mirandeses

PROGRAMA
02 / SÁBADO
10.30H - Cerimónia de Abertura.
10.35H- Inauguração do Pavilhão Multiusos de Miranda do Douro
Visita aos expositores.
Actuação do Grupo de Gaiteiros de Constantim
12.00h – Almoço (Restaurante no recinto da Feira)
14:30- Actuação de Grupo de Pauliteiros
17:30 – Actuação de Grupo de Pauliteiros
19:00 - Jantar (Restaurante no recinto da Feira)
20.30 – Espectáculo Musical com o Grupo de Música Tradicional Mirandesa “GALANDUM GALUNDAINA”

03/DOMINGO
10.00H - Reabertura da Feira
12.00h- Actuação do Grupo de Pauliteiros de Pauliteiras de Miranda do Douro
12.00h – Almoço (Restaurante no recinto da Feira)
14:30- Actuação do Grupo de Pauliteiros de Duas Igrejas
17:30 – Actuação do Grupo de Danças Mistas de Miranda do Douro
19:00 - Jantar (Restaurante no recinto da Feira)
20.30 – Espectáculo Musical com o Grupo de Música Tradicional Mirandesa “TRASGA”

04/SEGUNDA-FEIRA
10.00H – Reabertura da Feira
12.00h- Actuação do Grupo de Pauliteiricos de Miranda do Douro
12.00h – Almoço (Restaurante no recinto da Feira)
14:30- Actuação do Grupo de Pauliteiricas de Miranda do DOuro
16:00h – Actuação de Grupo de Pauliteiros
18:30 – Actuação de Grupo de Pauliteiros
19:00 - Jantar (Restaurante no recinto da Feira)
21.30 – Espectáculo Musical com o Grupo de Música Tradicional Mirandesa “LENGA LENGA”


ACTIVIDADES PARALELAS:
VIII Encontro Cinegético do Concelho
Dia 2 – São Martinho
Dia 3 – Vila Chã da Braciosa

Dia 3
Passeio BTT “Na rota dos Saberes”

Preço da refeição no Restaurante do Festival: 10,00€

publicado por lamietierra às 21:32
link do post | comentar | favorito

Planificação

          Da avaliação do trabalho do primeiro período, resultou uma aula de reflexão crítica sobre a planificação do projecto. Foi com enorme agrado que aceitámos as propostas de correcção da professora responsável pela disciplina e procedemos à remodelação da planificação. Esperamos tê-la tornado acessível e elucidativa do nosso projecto.

 

 

 Planificação do projecto

Título do projecto: «Cidades Criativas – Miranda do Douro».

Justificação do título: Este foi lançado pela Universidade de Aveiro. Pretendemos expor o desenvolvimento deste tema que será desta forma avaliado neste concurso.

Data: Miranda do Douro, 19 de Novembro de 2007

Grupo: «Os Excluídos»

Registem 10 palavras que melhor identificam o grupo:


Espírito crítico

Idealista

Curioso

Inovador

Trabalhador

Observador

Interventivo

Inteligente

Diversificado,

Social


 

Síntese do projecto:

Aspirámos realizar um estudo intensivo sobre as variantes culturais, sociais, turísticas, económicas e históricas da nossa cidade bem como proceder ao planeamento da área citadina, apresentando propostas inovadoras para alguns espaços da nossa cidade, que julgamos necessitar remodelações.

 Este projecto servirá não só para expandirmos os nossos conhecimentos sobre a cidade mas também para concorrer ao concurso «Cidades Criativas» promovido pela Universidade de Aveiro.

A forma de organização e tratamento de dados será denunciada num blog através de relatórios de actividade.

Os produtos finais a apresentar serão: uma apresentação em power point de forma a promover um debate na turma para discutir as nossas ideias e as sugestões dos nossos colegas; um cartaz e um suporte escrito de informação.

Comprometemo-nos a um esforço colectivo para alcançar todas as nossas metas e esperamos alcançar, não só o enriquecimento da nossa cultura como também a sua transmissão às novas gerações e à população em geral. Esperamos que as tradições e a cultura mirandesa persistam e sejam praticadas.

 

 

Dados do Projecto

Tema/Problemas a investigar:

 Miranda do Douro – Passado, Presente e Futuro.

1.   Como Miranda do Douro evoluiu ao longo dos tempos

  - Principais marcos históricos

2.   Diagnóstico de Miranda do Douro

- Quais as principais potencialidades da cidade

-Quais os aspectos culturais, ambientais e citadinos a preservar

- Organização urbana da cidade

3.   Miranda do Douro, no futuro:

  - Quais as necessidades de Miranda do Douro

  - Quais as necessidades da sua população

  - Quais os motivos que levam os jovens a procurar viver noutras cidades

  - Pontos de interesse turísticos

  - Recantos escondidos que mereciam divulgação

 

Objectivos/resultados que se pretendem atingir:

Proceder a uma visão crítica da nossa cidade com todos os factores positivos e negativos.

Possibilitar a criação de uma cidade melhor, inovadora e atractiva.

Avaliar as causas do envelhecimento da população mirandesa bem como os factos que conduzem à fuga dos jovens para as grandes Polis.

Avaliar quais as necessidades dos jovens relativamente à vida citadina.

Proceder à recolha de dados relativamente ao passado da nossa cidade e compará-los com os factos presentes.

Avaliar os progressos no desenvolvimento da cidade.

Apresentar propostas de melhoria económica para os comerciantes da cidade.

Sugerir possíveis modos de desenvolvimento da cidade.

Intervir na construção do futuro da nossa cidade.

Elaborar novas planificações permitindo a requalificação de alguns locais.

Estudar o ordenamento urbano a arquitectura e estrutura das construções e associá-las à nossa história.

Avivar as tradições mirandesas.

            Reavivar a cultura mirandesa.

            Promover a divulgação da nossa cidade.

            Recolher depoimentos sobre vivências.

            Recolher dados históricos.

            Apelar à acção das entidades de organização da nossa cidade em determinadas áreas .

            Melhorar os conhecimentos informáticos e históricos.

            Melhorar as capacidades de tratamento de dados.

            Participar no concurso “Cidades Criativas” promovido pela Universidade de Aveiro.

            Aprender a trabalhar em grupo.

            Elaborar um trabalho de projecto.

Aprender a trabalhar orientados por uma planificação e pelas regras estabelecidas por nós.

            Promover o relacionamento social com os colegas de grupo.

Tipo de produto a realizar:

Pretendemos realizar um trabalho teórico sobre a nossa cidade;

Implementar sugestões de mudanças na nossa cidade que a tornem atractiva para os jovens;

Exposição do nosso projecto numa apresentação de power point, que será dirigida aos colegas de turma e respectivos professores;

Proporcionar um debate onde todos possam expressar os seus pontos de vista sobre a cidade e ao mesmo tempo avaliar o nosso trabalho;

Elaborar um dossier de grupo que ficará no blog. actualizado no decorrer do trabalho;

Elaborar o poster elucidativo do nosso trabalho proposto pelo concurso Cidades Criativas;

 

Recursos necessários para trabalhar na escola:

Autorizações para proceder a visitas a alguns locais, nomeadamente à alfândega, ao museu, à casa da cultura e à câmara;

Computadores portáteis;

            Apelo aos professores de História, com vista a apurar alguns dados menos precisos ou aos professores de informática para obter auxílio na realização do blog e apresentação do cartaz;

Câmaras de filmagem e fotográficas de modo a realizar possíveis reportagens.

 

Recursos necessários fora da escola:

Documentação da nossa cidade, nomeadamente a planta e artigos que permitam reconstituir o nosso passado histórico e depoimentos sobre as principais vivências que caracterizam a cultura da nossa região;

            Depoimentos dessas vivências;

 

 

Actividades previstas nas aulas:

Elaboração de inquéritos para apurar as parecenças do povo mirandês sobre a sua terra;

Elaboração de entrevistas para apurar vivências e dados históricos;

Realização de projectos de reportagem para exibir as nossas tradições;

Tratamento, análise e exposição dos dados obtidos através da construção de gráficos e textos de fácil leitura;

Actualização do blog com os nossos estudos, pesquisas e principais fases de elaboração do projecto;

Possível contribuição com os textos mais interessantes para o jornal da escola;

Discussão de possíveis sugestões de trabalho, dados obtidos, formas de análise e tratamento da informação;

Estudo dos recursos necessários;

Estabelecimento de metas de trabalho;

Organização do trabalho;

Traçar objectivos e metodologias de realização do projecto;

 

Calarendização

 

Janeiro de 2008

Remodelação da planificação

Relato das principais tradições da época

Enriquecimento do blog com imagens e vídeos alusivos à cidade

Apresentação do projecto aos colegas

 

Fevereiro de 2008

Estudo de alguns monumentos históricos e percepção do que eles eram no passado

Reconhecimento dos locais que necessitam de requalificação

 

Março de 2008

Continuação do estudo de alguns monumentos históricos e percepção do que eles eram no passado

Reconhecimento dos locais que necessitam de requalificação

Procura da documentação necessária

Visita a alguns locais de interesse

Elaboração de entrevistas e reportagens

 

Abril Maio e Junho de 2008

Elaboração de propostas de requalificação dos locais estudados

Elaboração do cartaz

Elaboração da apresentação de power point e exposição da mesma aos colegas e professores

Divulgação do blog

 

 

 

Actividades previstas fora das aulas:

            Trabalhos individuais de pesquisa;

            Diários de bordo;

            Relatórios de actividade;

            Trabalhos teóricos;

            Reflexões individuais para valorizar as actividades;

            Avaliação crítica do trabalho realizado;

            Obtenção de alguma documentação, fotografias e filmagens;

 

Organização do trabalho de grupo:

 

            De modo a permitir avanços rápidos e eficazes no trabalho, procedemos a uma divisão de tarefas. Tal não significa negar o auxílio a algum colega que não consiga alcançar os objectivos ou por qualquer outro motivo sinta dificuldades no estabelecimento das suas metas. A divisão será a seguinte:

 - Tratamento audiovisual: Luís Zé

 - Trabalho escrito: Ana Valentina

 - Actualização e aperfeiçoamento do blog: Tiago Cousso

 - Trabalho de power point: Tiago João

 - Trabalho de pesquisa: Davide Brás

 

Avaliação intermédia:

        Apesar de alguns desentendimentos, pensámos ter todos os meios para alcançar as nossas metas e objectivos. Talvez careça a motivação e capacidade de iniciativa para trabalhar e talvez um pouco de organização. Apesar de não termos alcançado as etapas pré estabelecidas pelos organizadores do concurso, conseguimos atingir os objectivos estabelecidos pela professora.

 

Bibliografia

            Na elaboração do nosso projecto utilizamos os recursos fornecidos pela professora e também os recursos fornecidos pelas entidades organizadoras do concurso.

 

 

 

publicado por lamietierra às 19:08
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim

Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

As muralhas de Miranda do...

Alguns jogos tradicionais...

Dados gerais da cidade

Sé Catedral de Miranda do...

Castelo de Miranda do Dou...

Algumas considerações sob...

21 de Fevereiro, o dia da...

Perspectiva arquitectónic...

Economia

Parque Natural do Douro I...

links

arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

pesquisar